BOLSA FAMÍLIA COMBATE VIOLÊNCIA SEGUNDO ESTUDO DA FIOCRUZ

Bolsa Família Diminui Homicídios

Como sempre defendi, Pobreza, Desigualdade Social, Falta de Acesso a Serviços Públicos CONTRIBUI PARA AUMENTAR A VIOLÊNCIA. As pessoas nestas condições estão mais suscetíveis A SOFRER VIOLÊNCIA e não a praticá-la, como muitos defendem CRIMINALIZANDO A POBREZA. Estudo sério feito pela pós doutoranda Daiane Borges Machado do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia) com diversas variáveis e cobertura dos 5.507 municípios do Brasil entre os períodos 2004 à 2012 chegou a conclusão: PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA DIMINUI EM ATÉ 23% OS ÍNDICES DE HOMICÍDIOS. Vejam link para a matéria no Portal da Fiocruz e do estudo (em inglês) logo no fim da postagem.

BOAS PRÁTICAS NA GESTÃO DO BOLSA FAMÍLIA EM CIANORTE

Como Vencer a Pobreza

Compartilho boas práticas da Equipe do Programa Bolsa Família - PBF e da Secretaria Municipal de Assistência Social de Cianorte (vide link com matéria na Tribuna de Cianorte no fim desta postagem). Rodrigo Luque da Silva (Gestor Municipal do PBF) é um incansável protagonista no combate a pobreza. Ele e sua equipe, somados a Equipe do CRAS I e II, sempre esclarecem a população sobre as possibilidades de sair da sua condição vulnerável, seja via PBF como acessando outros benefícios e direitos da política de Assistência Social. São realizadas reuniões de acolhida com os novos beneficiários, reuniões para os que já estão no programa e devem cumprir condicionalidades.

CAMINHOS PARA QUALIDADE E RESULTADO NO SERVIÇO PÚBLICO: UM ENSAIO SOBRE A SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, FAMÍLIA E TRABALHO DO GOVERNO DO PARANÁ

A Difícil Arte de Ser Ouvido

Todos dependemos da qualidade e resultado do serviço público para melhorarmos nossa qualidade de vida ou apenas vivermos com dignidade. Mesmo os ricos ou os que se consideram liberais independentes (pregam redução quase total do estado): estes no mínimo dependem da normatização e intermediação das relações sociais e interpessoais realizadas pelas instituições públicas, a exemplo o poder legislativo (criar leis) e judiciário (aplicar leis). A qualidade do serviço público judiciário contribuirá para percepção da segurança, justiça e até para paz ao resolver conflitos. Os pobres dependem do serviço público até para sobreviver: saúde, segurança alimentar, previdência social e assistência social (auxílio natalidade, Bolsa Família), ou até para morrer: assistência social (auxílio funeral).

DIMINUI O NÚMERO DE EMPREGO NA REGIÃO DE CIANORTE EM 2018

Diminui o número de empregos na região de Cianorte



A região de Cianorte historicamente se destacava quanto a indicadores de empregos formais; nos dois últimos anos esta realidade vem mudando. EM 2018 SEGUNDO CAGED DO MINISTÉRIO DO TRABALHO 8 DOS 12 MUNICÍPIOS DA REGIÃO TEVE REDUÇÃO DO NÚMERO DE EMPREGOS FORMAIS. Contrastando Brasil e Paraná bateram a marca histórica dos últimos anos com a maioria dos estados e municípios tendo saldo positivo. Vejam o saldo entre admissões e demissões entre os meses de janeiro e dezembro de 2018:

SAI CADERNO DE ATIVIDADES PARA O SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS DE 0 A 6 ANOS


Acabou de ser divulgado pelo Ministério de Desenvolvimento Social - MDS o link para acessar o Caderno de Atividades do SCFV de 0 à 6 anos. TÁ ESPETACULAR!!! (abaixo o link)

PLANO DE CARGO, CARREIRA E SALÁRIO NO CONTEXTO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS DO PARANÁ - PARTE IV

A Equidade é a principal atributo motivador



NOTA: A figura representa a pior falha na política salarial: INEQUIDADE. Todos sabem que o salário admissional do Judiciário é o dobro ou triplo para um conjunto de responsabilidades do mesmo nível de exigências comparadas aos outros poderes de governo.

Todos os diagnósticos e pesquisas de clima indicam que a maior causa de insatisfação dos funcionários tem a ver com critérios de concessões salariais (...). Ainda predomina a crença de que a satisfação dos funcionários é obtida com quantidade de valores e aumentos salarais. Mas está suficientemente provado que eles continuarão insatisfeitos, independentemente de valores, enquanto perceberem falta de coerência, equidade e transparência. (RESENDE, 1999, p. 2)

PLANO DE CARGO, CARREIRA E SALÁRIO NO CONTEXTO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS DO PARANÁ - PARTE III

Entram-se muitos pela boca do funil na esperança de sair por cima
Nota: A figura representa o modelo tradicional de carreira vertical: muitos entram pela boca do funil por baixo na esperança de “sair por cima” como “chefe máximo” da organização (presidente, diretor, CEO, secretário, ministro …). Entram para ocupar um cargo de conhecimento específico (advogado, psicólogo …) ou operacional e sonham em sair com um cargo de administrador (presidente …). Infelizmente neste modelo apenas 1 sairá por cima e pode ser alguém de fora que se quer entrou pela boca do funil.

RESUMO: NÃO EXISTE CARREIRA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Não queria que fosse verdade, mas é. Existe progressão salarial desconexa de progressão de responsabilidades (carreira). A maioria dos funcionários públicos não fugiria das responsabilidades se estas viessem acompanhadas da sua progressão salarial. Na verdade para muitos estas responsabilidades seriam sinônimo de autorrealização (estou entre estes).

PLANO DE CARGO, CARREIRA E SALÁRIO NO CONTEXTO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS DO PARANÁ - PARTE II

O desenho de cargos como resposta a falta de profissionais
Nota: Erros no desenho de cargos faz com que instituições públicas tenham um desequilíbrio entre cargos meio e cargos fim que efetivamente resolvem o problema da sociedade, estampado neste exemplo da charge acima. NÃO FALTA DINHEIRO PARA CONTRATAR PROFISSIONAIS, FALTA ACERTAR A DISTRIBUIÇÃO DOS CARGOS NA ESTRUTURA INSTITUCIONAL.FALTA ANESTESISTA E SOBRA CARGO EM COMISSÃO!

PLANO DE CARGO, CARREIRA E SALÁRIO NO CONTEXTO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS DO PARANÁ - PARTE I

Exercício Ilegal da Profissão, Incoerência entre Cargos e Requisitos
Fonte da Imagem: Sindicato dos Bancários de Santos



Convido o leitor a uma sequência de textos extraídas do meu artigo publicado na revista “Caderno de Gestão Pública” da Uninter (ano 1, n. 1, jul-dez 2012). Neste artigo discuto sobre o Plano de Cargos, Carreira e Salários no Contexto do Sistema Único de Assistência Social – SUAS do Paraná. Minha professora-orientadora foi Fernanda Cagol e tirei 10 na banca avaliadora da pós-graduação, tal feito me rendeu a publicação na revista da universidade. O texto original tem 23 páginas e o leitor ficaria exausto ao chegar na conclusão. Neste primeiro trecho selecionado é possível ir direto para conclusão, após passar pelo resumo e trecho da introdução. Na sequência publico capítulos que fundamentam a conclusão. RESUMO POLÊMICO: NÃO EXISTE CARREIRA NOS PLANOS DE CARREIRA DO SETOR PÚBLICO. Segue debate:

FINANCIAMENTO COLETIVO (CROWDFUNDING) PARA ENTIDADES (ONGS)

Diversificar fontes de financiamento para entidades sociais


É difícil manter uma entidade social com mais de 60 funcionários e 400 crianças atendidas, como o CEMIC São José de Cianorte. As despesas são altas. Prefeitura concede repasses de dinheiro que cobre despesas operacionais, entre elas folha de pagamento. O Governo do Estado do Paraná através da SEDS vai repassar recurso para esta e outras entidades através de editais específicos, são repasses únicos. O Programa Nota Paraná dá grandes contribuições em repasses contínuos, esta entidade até fevereiro de 2018 arrecadou mais de R$ 905 mil. Ainda assim é pouco. Falta dinheiro para investir em ampliação de estrutura e projetos pontuais.

O AFASTAMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DA SUA FAMÍLIA


Nada substitui a proteção de uma mãe
Fonte da Ilustração: Viva Saúde

Compartilho com vocês orientações dada aos conselhos tutelares da região de Cianorte por este que vos fala sobre um assunto MUITO SÉRIO: Retirada da criança de sua família pelos Conselhos Tutelares.  Qual a dor da família e da criança nestas situações? Quais as consequências para a sociedade? Sou completamente contrário ao afastamento por motivos "banais". Trata-se na maioria das vezes DA CRIMINALIZAÇÃO DA FAMÍLIA POBRE PELO ESTADO, subtraindo destas o que elas tem de mais valioso: SUAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Ou alguém aí já viu filho de rico ser retirado da família? Segue íntegra da orientação:

LEI FEDERAL SOBRE A REDE DE PROTEÇÃO À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

Família Feliz protegida


Segue interpretações sobre os avanços trazidos pela lei 13.431 de abril de 2017 que estabelece o SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS - SGD à crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência.